Scroll Top

“REINVENTAR NOVAS VIDAS” ATRAVÉS DA RECICLAGEM NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE CANTANHEDE

CANTANHEDE

O vice-presidente da Câmara Municipal, Pedro Cardoso, participou na passada segunda-feira, 22 de maio, numa visita guiada à exposição “Reinventar Novas Vidas”, de Paulo Gouveia, que está patente na Biblioteca Municipal de Cantanhede até final deste mês.

No decurso da visita, o autarca apreciou os trabalhos expostos, ouvindo do autor a justificação para cada uma das peças expostas.

Pedro Cardoso elogiou o trabalho, salientando que “à arte e criatividade de Paulo Gouveia, junta-se uma enorme sensibilidade artística, a que acresce esta dimensão da sustentabilidade ambiental, com enfoque na reciclagem de materiais em fim de vida e a criação de novas peças verdadeiramente espantosas”. 

Na exposição “Reinventar Novas vidas” estão patentes 74 trabalhos artesanais, concretizados a partir da reciclagem de peças metálicas em final de vida. A mostra é constituída por réplicas de automóveis, comboios, motorizadas, barcos, imagens de guerreiros medievais, animais, figuras representativas de músicos e objetos de decoração, com recurso a  metal reciclado. 

É uma exposição de referência, que tem merecido os mais rasgados elogios, que nos convoca para novos desafios, nomeadamente explorar estes trabalhos em contextos expositivos diferentes com as muitas obras que não foi possível expor neste espaço”, concluiu o autarca.

Nesta visita guiada participaram também o presidente da União de Juntas de Freguesias de Cantanhede e Pocariça, Nuno Caldeira, e vários familiares e amigos do autor.

 

Sobre Paulo Gouveia

Paulo Gouveia nasceu em Lisboa, em 1967, sendo técnico eletromecânico de profissão. Aos 18 anos emigrou para a Venezuela, onde permaneceu vários anos, regressando a Portugal em 1999, fixando-se em Covões, Cantanhede. 

Em 2015 experimentou o artesanato em metal, arte que o cativou e à qual se dedica até hoje. Nesta prática artesanal produziu centenas de peças variadas, usando como principal matéria o metal reciclado. Os seus trabalhos refletem temáticas diversas: representações de meios de transporte, terrestres, aquáticos e aéreos, figuras humanas representativas de elementos de bandas musicais, guerreiros medievais, animais e peças de decoração.

Paulo Gouveia cria os seus trabalhos a partir de peças de ferro que reutiliza de forma artística, recorrendo à soldadura por elétrodos. Este tipo de soldadura é um processo manual na qual uma fonte térmica desenvolve calor que provoca uma rápida fusão do material base e do elétrodo (material de adição). 

Pela reciclagem de objetos de metal, como porcas, parafusos, anilhas, roscas, entre muitos outros, em fim de vida, Paulo Gouveia utiliza-os para criar originais peças artísticas de artesanato e decoração.




Posts relacionados