Scroll Top

QUATRO CENTENAS DE PESSOAS ASSISTIRAM AO “QUADRUNVIRATO FILARMÓNICO” – ENCONTRO DE BANDAS 

CANTANHEDE

A Filarmónica Marialva de Cantanhede, a Phylarmonica Ançanense, a Filarmónica de Covões e a Associação Musical da Pocariça atuaram em conjunto no denominado “Quadrunvirato Filarmónico”, sob a direção da maestrina Renata Oliveira.

Mais de 400 pessoas assistiram ao concerto realizado no último sábado, 27 de abril, no Pavilhão Multiusos de Febres, no âmbito das comemorações do 50.º Aniversário do 25 de Abril promovidas pelo Município de Cantanhede, cujo programa prossegue com diversas iniciativas em áreas como a expressão cultural, recreativa, artística ou desportiva. 

Em palco estiveram 180 músicos que interpretaram “Queria ser um pássaro e poder voar”, uma peça orquestral encomendada ao jovem compositor Francisco Ribeiro para celebrar a Revolução do Cravos, integrando excertos de duas músicas emblemáticas do acontecimento, designadamente “Acordai”, de Fernando Lopes-Graça, e “Grândola, Vila Morena”, de Zeca Afonso. 

Esses excertos surgem integrados em diversos contextos melódicos, sobretudo inspirados no folclore português e na música erudita portuguesa do século XX e atingem expressão clarificadora no clímax final, quando as melodias evoluem para uma interpretação muito semelhante às suas versões originais.

O carácter de celebração relaciona-se com a luta do povo reprimido que ansiava a liberdade, que ansiava poder voar! Como qualquer luta, vem com muito sofrimento e ansiedade, retratada nos momentos mais intensos da peça, sobretudo com o “Acordai” bem marcado e quase gritado”, explica o autor.

No concerto do “Quadrunvirato Filarmónico” marcaram presença a presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, Helena Teodósio, o vice-presidente da autarquia, Pedro Cardoso, os vereadores Célia Simões e José Santos, o presidente da Assembleia Municipal, João Moura, e os executivos das juntas de freguesia do concelho, assim como as direções das bandas filarmónicas.

Foi um espetáculo extraordinário, de elevada qualidade artística, traduzindo cabalmente, quer a qualidade musical da peça do maestro Francisco Ribeiro, quer a excelência do trabalho preparatório preconizados pelos maestros das quatro bandas e pela maestrina Renata Oliveira, quer ainda o talento de todos os músicos das quatro filarmónicas”, afirmou Helena Teodósio na sua intervenção. A autarca enfatizou a importância da celebração do 25 de Abril como o acontecimento “que abriu novos horizontes para todas as gerações, do ponto de vista económico, social e cultural”. 

Posts relacionados