Scroll Top

CURTIÇÃO DO TREMOÇO ARRANCOU COM BÓIAS DE ÁGUA, DJs E BADALADAS MOTORIZADAS

CANTANHEDE

O evento cultural “Curtição do Tremoço”, após estreia no ano anterior, está de regresso à Praia Fluvial dos Olhos da Fervença, na freguesia de Cadima, no concelho de Cantanhede, com “Matinés Sunset”, durante todas as sextas-feiras do mês de Julho, a partir das 16h30, com entrada livre. 

A abertura decorreu esta sexta-feira 5 de Julho com a concentração de boias de água trazidas pelo muito público presente que participou de forma entusiástica, em especial crianças e jovens, quer na água, quer nas esplanadas e espaços relvados do recinto. Segundo a organização, “dado o entusiasmo dos participantes, mesmo tendo em conta a curta divulgação, decidimos que na última sexta-feira do mês repetiremos a aposta nesta festa das boias de água”. 

A matiné teve Johnny Gil e Space Jumper a ditar os sons da dança dentro e fora de água, com direito a discos pedidos e dedicatórias muito participadas. A tarde terminou com a transmissão do jogo Portugal-França do Europeu de futebol e o “after-sunset” no Bar Olhos. Foi ainda inaugurada a prática das “7 badaladas da Vespas Paperinos”, com os veículos motorizados sincronizaram os seus ruídos para assinalaram o horário das 19 horas desta forma, coordenados por um maestro. Esta prática irá manter-se em todas as sessões desta segunda edição da “Curtição do Tremoço”.

A programação de prossegue a 12, 19 e 26 de Julho contando com vários espetáculos e performances de áreas artísticas em ascensão, sem esquecer as tradições da região, mais propriamente a conservação, valorização e (re) interpretação o seu património material e imaterial. É ainda referido pela organização que “a filosofia base desta abordagem cultural, social e ambiental continua a ser a de criar pontes entre tradição e inovação, bem patente no duplo significado do título o projeto, havendo ainda todo um caminho aliciante a percorrer de rentabilização de recursos locais e regionais”.

Segundo a organização, “pretende-se enraizar hábitos na agenda, envolver públicos e usufruir dos espetáculos com uma valorização ambiental da área envolvente, tendo em conta que o espelho de água, as zonas de areia, as esplanadas nos terraços, as bancadas relvadas em socalco dão a este espaço uma funcionalidade de anfiteatro natural que nos apaixona”.

A organização envolve várias associações da freguesia de Cadima em parceria. tais como a Lúcia Lima Associação Cultural, o Bar Olhos, o Quadimu – Grupo de Teatro da União Recreativa de Cadima, o Grupo de Teatro da ACDC (Casal Cadima), o Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal”, o Vespa Clube Paperinos, a União Recreativa da Taboeira, contando com o apoio da Junta de Freguesia de Cadima e do Município de Cantanhede.

Segundo a organização, “o objetivo primordial passa por, ao logo de todo o mês de Julho, contribuir significativamente para a promoção do conhecimento, turismo e prestígio mediático deste espaço a nível local, regional e nacional, proporcionando experiências culturalmente construtivas, artisticamente diferenciadoras e socialmente marcantes aos visitantes”.

Posts relacionados