Scroll Top

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO APROVA CARTA EDUCATIVA DO CONCELHO DE MIRA

MIRA

O Conselho Municipal de Educação aprovou, no dia 13 de abril, o processo de revisão da Carta Educativa do Concelho Mira, coordenado pela Universidade de Coimbra em colaboração com o Município de Mira e o Agrupamento de Escolas de Mira.

Segundo o Presidente Raul Almeida, “a carta educativa do Município de Mira tem como objetivo primordial, o desenvolvimento de um modelo educativo, assente nas melhores práticas ao nível nacional e internacional, procurando a excelência do nosso concelho na área da educação.”

A Carta Educativa é um documento bastante extenso, onde, além da perspetiva educacional, é realizado um vasto enquadramento global do nosso concelho: rede viária e acessibilidades, dinâmicas demográficas, caracterização socioeconómica, saúde, ambiente, economia e mercado de trabalho, movimento associativo, etc.

Na área específica da Educação, são exaustivamente analisados os dados referentes à Oferta Educativa (rede escolar, salas de aula/atividade, estado de conservação, barreiras arquitetónicas) e à Procura Educativa (análise por estabelecimento de ensino e por freguesia), população escolar, educação inclusiva, sucesso/insucesso escolar, apoios e medidas socioeducativas, recursos humanos.

O Vice-presidente Artur Fresco responsável pelo pelouro da Educação afirmou que “a definição e apresentação da proposta de reorganização da rede escolar do concelho de Mira obedece, naturalmente, aos parâmetros reguladores emanados pelo Ministério da Educação, mas assumimos um conjunto de critérios locais, gerais e específicos, orientadores do planeamento educativo, que manifestamente apresentam uma natureza distinta dos publicados nacionalmente. Assim, embora não atingindo ainda o plano perfeito (1.º CEB) de uma sala, um docente, um nível de ensino, não será encerrado em Mira nenhum estabelecimento de ensino. 

Com um investimento previsto acima dos 2M€, pretendem-se renovar os diferentes espaços existentes (com especial incidência no 2.º CEB) e, num cenário ideal, com um horizonte temporal de 10 anos, construir de raiz um novo bloco na Lentisqueira (juntando o Jardim de Infância ao 1.º Ciclo) e outro na Escola Secundária Dra. Maria Cândida (com o intuito de que materiais de laboratório e pesquisa permaneçam montados e sempre disponíveis para utilização fácil e prática).”

Alguns dos critérios específicos adotados são os seguintes:

  • Procurar constituir turmas homogéneas; 
  • Estabilizar as trajetórias escolares, salvaguardando a razoabilidade nas deslocações das crianças na tripla vertente: conforto/segurança, distância a percorrer e duração do percurso; 
  • Melhorar a oferta educativa, diversificando-a e adaptando-a às reais necessidades do mercado de trabalho, em particular o municipal; 
  • Rentabilizar os recursos humanos e materiais disponíveis, procurando articulações e complementaridades;
  • Integrar os diferentes níveis de ensino, procurando que os alunos completem a escolaridade obrigatória no agrupamento de escolas do concelho de Mira.

Posts relacionados