Scroll Top

CONCERTO DE ANO NOVO JUNTOU AS QUATRO FILARMÓNICAS DE CANTANHEDE

CANTANHEDE

Cerca de 160 instrumentistas das quatro filarmónicas de Cantanhede – Phylarmonica Ançanense – Associação Musical, Associação Filarmónica Marialva de Cantanhede, Filarmónica de Covões e Associação Musical da Pocariça -, proporcionaram um concerto único no Multiusos de Febres, perante cerca de 500 pessoas. Um espetáculo que podemos intitular “4 em Sinfonia”, com quatro bandas a interpretar um mesmo programa em plena harmonia e sintonia.

O espetáculo de Ano Novo foi o culminar de um processo empenhado e criativo dos maestros das quatro filarmónicas – Cláudio Batista, Nuno Choupeiro, Fausto Moreira e Pedro Ralo -, dos dirigentes das coletividades e, sobretudo, dos cerca de 160 executantes que estiveram em palco para dar a conhecer o trabalho que resultou dos vários ensaios conjuntos.

Um programa diversificado, com uma estrutura coerente, durante o qual pontuou a interpretação de temas cantados por elementos ligados às bandas filarmónicas, proporcionou uma noite de sábado inesquecível e que marcou também o início do ano cultural no concelho.

A fechar a noite, os músicos interpretaram um tema inédito da autoria e conduzido por Fausto Moreira – “Marcha Carlos de Oliveira” -, com um breve trecho do poema “Xácara das Bruxas Dançando”, da autoria do poeta da Gândara. 

Febres, freguesia que acolheu desde cedo o escritor Carlos de Oliveira, acabaria por ser o local ideal para a apresentação deste tema inédito. No final do concerto, Fausto Moreira ofereceu o trabalho ao Município de Cantanhede, entregando-o em mãos à presidente da Câmara, Helena Teodósio.

Na ocasião, a autarca felicitou os elementos das quatro filarmónicas pelo excelente concerto que proporcionaram, sublinhando que todos os atributos que caracterizam o movimento filarmónico estiveram em palco, nomeadamente a partilha de emoções pela música.

“O movimento filarmónico em Cantanhede está vivo e tem uma qualidade superlativa, como se viu em palco. Importa destacar, por outro lado, o trabalho destas coletividades ao nível da formação de jovens no campo da música”, enfatizou.

O próprio Município reconheceu, em 2022, a importância do trabalho destas quatro filarmónicas, tendo-lhes atribuído um subsídio individual de 5.000 euros, um apoio complementar aos subsídios que a autarquia concede às associações culturais.

Helena Teodósio chamaria depois ao palco os dirigentes de cada uma das bandas filarmónicas e os quatro maestros, a quem entregou lembranças do Município. 

O espetáculo terminou com a interpretação do hino-marcha “Cantanhede”, da autoria de Amílcar Morais e letra de Maria de Lurdes Santos.

Marcaram também presença no concerto o vice-presidente, Pedro Cardoso, os vereadores Célia Simões e Sérgio Negrão, a presidente da Direção da Gira Sol, entidade parceira na concretização desta iniciativa, e os presidentes de Junta de Ançã, Cantanhede e Pocariça, Febres e Cadima.

Posts relacionados