Scroll Top

COM A PRESENÇA DE ANA ABRUNHOSA, ATRIUM MIRA FOI INAUGURADO NO DIA DA LIBERDADE

MIRA

A inauguração do ATRIUM Mira, com um investimento de um milhão de euros, decorreu no dia 25 de abril, e contou com a presença da ministra da Coesão Territorial Ana Abrunhosa, bem como de Isabel Damasceno, presidente da CCDRC.

Antes dos discursos, houve animação com a Tuna da Universidade Sénior, com os Gurillaz Dance Crew e com André Ferreira e Tozé Rodrigues.

Raul de Almeida disse que “chegar aqui não foi um caminho fácil” e salientou que o ATRIUM Mira “é um espaço onde pretendemos onde tudo aconteça. Um espaço de todos e para todos. Estamos perante um espaço de Cultura e Lazer, capaz de conciliar áreas lúdicas, espaços de criação artística e cultural, aspirando sempre ao envolvimento e participação da comunidade.”

Frisou ainda que “queremos que o ATRIUM Mira seja uma alavanca para que a Educação e a Cultura caminhem de mãos dadas em prol do desenvolvimento das nossas crianças, dos nossos jovens e da nossa comunidade, a Educação enquanto veículo da Cultura e a Cultura enquanto fonte da Educação.”

O edil mirense também referiu alguns investimentos que considerou “avultados” como o Polo I da Zona Industrial, o Montalvo, os Viveiros e o Mercado da Praia de Mira e, aproveitou o momento para falar de outras necessidades como sejaa expansão da Rede Social, o Financiamento para a Expansão da Rede de Saneamento e um desvio que entronquem a A17 e a Zona Industrial do Montalvo e, também, a recuperação do Sistema Hídrico.”

 Este, disse, “bastante afetado pela situação da ETAR das Cochadas.”

Por sua vez, Isabel Damasceno frisou ser esta “uma forma muito interessante de homenagear o poder local e o 25 de Abril, inaugurando obras.”

E salientou ser este “um espaço recuperadíssimo, com todas as condições para aqui acontecer de tudo e para todos, muito virado para a Cultura e para a Educação.”

Finalmente, Ana Abrunhosa frisou que “estamos a falar de um edifício que estava há largos anos abandonado e estamos a celebrar o facto de devolvermos este edifício à comunidade, como um espaço de várias gerações, um espaço de cultura, um espaço que pode bem ser de diálogo democrático.”

25 DE ABRIL TEVE CERIMÓNIA COMEMORATIVA NO JARDIM DO VISCONDE

Na cerimónia que decorreu na manhã do dia 25, no Jardim do Visconde, e onde a edilidade entregou à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mira, a Medalha de Ouro Municipal pelos seus “40 anos de trabalho em prol das populações do concelho”, discursaram Nelson Maltez (presidente da Assembleia Municipal), Augusto Louro de Miranda (Chega), João Luís Pinho (PS), Luís Lavrador (PSD), Nelson Cadete (vice-presidente da Assembleia Geral dos BV de Mira) e o edil Raul de Almeida.

Os poetas “estiveram presentes” na cerimónia comemorativa dos 49 anos da Revolução dos Cravos. Na maioria dos discursos, Sophia de Melo Breyner Andersen, Jorge de Sena, Sérgio Godinho e José Mário Branco “marcaram” presença.

“Fizemos o 25 de Abril mas, está a faltar fazermos mais cidadãos” e “esta revolução levou a que a Liberdade fosse, depois, conquistada com muito suor e lágrimas”, ouviu-se durantes as intervenções.

Ficou também a ideia de que “temos todos de continuar a lutar pela Democracia” numa altura em que “as conquistas de Abril estão a ser ameaçadas.”

A União de Músicos de Mira animou a cerimónia que terminou com a interpretação do Hino Nacional.



SINFONIA PELA PAZ NO FINAL DAS COMEMORAÇÕES

A festa no Jardim do Visconde, celebrou a paz com o Concerto Sin+fonia pela PAZpelo grupo de compositores europeus ‘Musica pro populo’. Um projeto que junta quatro amigos, compositores de diferentes países, Makris Charalampos, da Grécia, Ilio Volante, de Itália, Francisco José Rosal Nadales, de Espanha, e Francisco Manuel Relva Pereira, de Portugal, que compuseram os quatro temas que fazem parte desta sinfonia, centrada na preocupação universal, que é a Paz Mundial. 

A par da interpretação da “Sin+Fonia pela Paz”, o programa contemplou a apresentação de outras composições, contando com uma participação musical “alargada e heterogénea, cuja base principal assenta no registo filarmónico.”

As Bandas de Música de Lares e de Santana, alguns músicos da Banda Filarmónica Ressurreição de Mira e da União de Músicos de Mira e ainda a tocata do Grupo Folclórico de Portomar e o acordeonista Pedro Torres, participaram neste concerto a par com as vozes de Diana Matias e Patrícia Santos, acompanhadas pelos bailarinos Renata Costa e Rui Cadima. Em palco estiveram mais de 150 músicos.

De referir que os maestros foram recebidos de manhã no Salão Nobre da edilidade pelo presidente Raul de Almeida.

Posts relacionados