Scroll Top

CARLOS COSTA, NA INAUGURAÇÃO DAS NOVAS INSTALAÇÕES DA JUNTA DE MIRA: “PARA OS QUE NOS VISITAM, EXISTE AGORA UM ESPAÇO MAIS ACOLHEDOR”

MIRA

Com a presença dos ex-presidentes da Junta de Freguesia de Mira, João Palmela, António Cainé, António Alberto e Artur Fresco (este agora também na qualidade de vice-presidente da edilidade), procedeu-se, no sábado 1 de julho, à inauguração da nova sede da respetiva Junta, situada nas instalações onde funcionou a Repartição de Finanças.

Também presentes os presidentes das outras juntas do concelho, concretamente Francisco Reigota (Praia de Mira), Carla Santos (Carapelhos) e Rui Pedro Rocha (Seixo), bem como outros autarcas da freguesia e da Assembleia Municipal, os vereadores Tiago Cruz, Bruno Alcaide e Madalena Santos, o presidente da Assembleia Municipal Nelson Maltez e o presidente da edilidade Raul Almeida. João Maduro, comandante dos Bombeiros, e Christophe Pereira, comandante da GNR, também estiveram presentes tal como Jorge Germano, pároco de Mira.

As associações da freguesia também se fizeram representar.

Antes da referida inauguração, a Filarmónica Ressurreição e a União de Músicos, “duas coletividades da freguesia de Mira”, como lembrou o presidente Carlos Costa, interpretaram peças do seu reportório, tendo uma dessas peças sido tocada em conjunto.

No seu discurso, Carlos Costa referiu que “para a freguesia de Mira, hoje é um dia importante pois a inauguração das novas instalações da sede é algo que nos enche de orgulho e de muita alegria.”

Frisou depois que “que quem conheceu este espaço e o vê hoje transformado fica admirado pelas suas condições e para os colaboradores que cá trabalham existem agora melhores condições para o desempenho das suas funções.” 

“Para os que nos visitam para tratar dos seus assuntos existe agora um espaço mais acolhedor”, adiantou o autarca.

Carlos Costa agradeceu “o trabalho feito pelos anteriores presidentes e pelos membros da assembleia de freguesia” pois, sublinhou “esta inauguração também teve um pouco vosso.” Relembrou, depois, os presidentes e membros da assembleia já falecidos tendo salientado “a sua dedicação à causa pública.”

Carlos Costa fez questão de referenciar o seu antecessor, Artur Fresco, também “culpado” desta sede que “é um espaço que dignifica Mira.” E agradeceu “todo o apoio” que, o seu antecessor e o presidente da edilidade, “deram para a construção desta sede.”

Por sua vez, Raul Almeida, presidente da Câmara Municipal de Mira, deambulou pela história que levou” até “chegarmos à escolha do espaço e à construção desta nova sede” e afirmou que o caminho até aqui “teve muitas dificuldades” adiantando “apoios não existentes, créditos bancários a que não foi possível recorrer por força da lei”. Lembrou, ainda, como dificuldade “uma pandemia que, também, se fez presente.”

As dificuldades do caminho acabaram por contribuir, frisou o edil, “para me sentir orgulhoso” dado o resultado final “que foi alcançado.”

Seguiu- se uma visita às instalações e, depois, um almoço convívio no Jardim do Visconde.

Refira-se que o custo da obra foi de 142 mil noventa e quatro euros e sessenta e dois cêntimos.

Posts relacionados