Scroll Top

VOTO ANTECIPADO PARA AS LEGISLATIVAS DECORRE ESTE DOMINGO NA ESCOLA SECUNDÁRIA DE AVELAR BROTERO 

DO OUTRO LADO

O Voto Antecipado em Mobilidade para as Eleições Legislativas de 10 de março vai decorrer este domingo, dia 3 de março, das 8h00 às 19h00, na Escola Secundária de Avelar Brotero. Nos termos da lei, as operações de voto antecipado são coordenadas pelos municípios, tendo a Câmara Municipal (CM) de Coimbra constituído uma equipa multidisciplinar formada para o efeito, composta por cerca de 60 elementos de várias Unidades Orgânicas e orientada pelo Departamento de Administração Geral (DAG). As inscrições para o voto antecipado terminaram ontem e, até ao momento, foram já contabilizados 6.371 inscritos. 

É já este domingo que vai decorrer, das 8h00 às 19h00, na Escola Secundária de Avelar Brotero, o Voto Antecipado em Mobilidade para as Eleições Legislativas de 10 de março. Há 13 mesas de voto no local, para o distrito de Coimbra, num total de 30 mesas de voto para todo o país e regiões autónomas. Os cidadãos inscritos devem dirigir-se à mesa de voto, identificarem-se (de preferência através do Cartão de Cidadão ou do Bilhete de Identidade) e indicarem a freguesia onde estão recenseados. Depois de votarem, ser-lhes-á entregue uma etiqueta de segurança comprovativa do exercício do direito de voto.

Esta operação de voto antecipado – que já decorreu, também, no Hospitais da Universidade de Coimbra, Estabelecimento Prisional de Coimbra, Centro Educativo dos Olivais, Hospital Sobral Cid e no Hospital dos Covões, contando com cerca de 250 inscritos – é coordenada pela CM de Coimbra, através de uma equipa multidisciplinar constituída para o efeito, composta por cerca de 60 elementos de várias Unidades Orgânicas da autarquia e orientada pelo DAG. Este Departamento da Câmara Municipal tem mesmo uma equipa de apoio permanente, que acompanha todo o processo eleitoral.  

No dia seguinte ao voto antecipado, as forças de segurança irão proceder à recolha dos votos para, assim, os fazerem chegar às mesas de voto da área de recenseamento dos eleitores. Trata-se de uma megaoperação que envolve diversas entidades, tais como câmaras municipais, forças de segurança, tribunais, juntas de freguesia, Comissão Nacional de Eleições, Administração Eleitoral do Ministério de Administração Interna, edifícios públicos e privados, entre outros. 

Esta foi a segunda de três eleições que se realizam este ano e que exigem a mobilização de uma equipa da autarquia formada para o efeito, composta, no total, por 33 elementos fixos, aos quais juntam, se necessário, funcionários de outras Unidades Orgânicas. A primeira foi a Eleição Legislativa da Região Autónoma dos Açores e a próxima será a eleição para o Parlamento Europeu, a 9 de junho. Para além da logística em torno das eleições, cada ato eleitoral exige procedimentos administrativos com respostas rápidas, de acordo com as orientações da Comissão Nacional de Eleições e da Administração Eleitoral do Ministério da Administração Interna.

Posts relacionados