OPINIÃO: FORA DA CAIXA 6. OS TARGETS

Opiniao

Nós falhamos os nossos alvos a todo o momento, estejam eles longe ou perto, sejam eles de pequenas ou de grandes dimensões, sejam eles pessoais ou coletivos.

Apesar deste falhanço crónico, também acertamos em alguns: uns selecionados por nós (poucos) e outros que o acaso aparentemente colocou na frente do nosso projétil. Também falhamos muitos dos que nos colocam na nossa frente a todo o momento, sem nós sabermos porquê e para quê.

Será falta de pontaria, ou será da teimosia da realidade que muitas vezes queremos negar?

Será que estamos a escolher os alvos para os quais temos habilidade de tiro? Será que temos mesmo que lançar o nosso projétil a todos os alvos que nos mostram?

Já perguntámos a nós próprios quem fica a beneficiar com o atingir do alvo que nos está ser apresentado, não será o mesmo que beneficia com os danos colaterais do mais que provável erro de tiro?

Manuel Ribeiro. Engenheiro, músico.

Posts relacionados