Scroll Top

NÃO ME IDENTIFICO

Opiniao

Tenho para mim que muitos dos valores que me ensinaram e muitos mais, aprendidos ao longo da vida, continuam a ser válidos e a fazer o meu caminho.

Na vida é sempre possível melhorar e aprender bons hábitos e costumes. Desde a nossa vida privada, ou à vida em sociedade,quem tiver vontade aprende sempre. Mas querer aprender, significa ter uma determinada linha de coerência e não ziguezaguear constantemente em busca do melhor lado, ou aquele que nos dá mais lucro ou vantagens no imediato. 

Por outro lado vemos que, no dia-a-dia, aqueles valores tidos como certos, inamoviveis, vão sendo consecutivamente revogados a favor do resultado imediato. Das modas. Muitos deles são esteios na forma de ser, de pensar, agir e viver uma vida digna.

Após o 25 de Abril de 1974 , até à presente data, tem sido evidente a degradação e o atropelo constante de muitos  destes valores de que fá-lo. E não foi por causa da democracia, bem que se entenda, mas em nome da democracia , pelos  seus representantes.

 A democracia e a liberdade, tem para mim um valor inqualificável , sempre que exercida com rectidão. Mas em seu nome, os nossos governantes, têm cometido os maiores desvarios. Porque esta, para eles, significa, é, um amplo campo político e  filosófico  onde cabe tudo. Tudo, menos as vontades mais terrenas dos eleitores.

No limite escudam-se  na Constituição da República de 1976, qual pára- quedas, também ela a precisar de ser mais muito mais enxuta e despida de conceitos políticos serôdios.

A classe política, em pouco tempo, encarregou-se de desmontar conceitos, ou adaptá-los aos seus ensejos, sempre, numa lógica de conveniência  individual, de meias verdades, ou mentiras absolutas.

Por nós eleitos, os deputados, deviam ser o exemplo da nação em todos os aspectos, Dar bons exemplos, aprovar legislação enxuta que defende-se os valores éticos e morais para termos uma melhor sociedade, mais moderna, socialmente correcta e equitativa. Encerrar- em definitivo- alçapões que as leis contém.

Aqui chegados, o que é que temos?. Temos uma sociedade muito desigual, injusta e eticamente incorrecta com liberdades que eu qualifico de liberalidades e cheia de tiques. Aquilo que até à bem pouco tempo se via noutras latitudes e que reprovava-mos, depressa galgou fronteiras, porque as modas são como ervas daninhas, voam depressa . A classe política ávida de votos , copiou e com isso entramos no que se designa por : politicamente correcto.

Depois, não nos pode admirar ao  ver-mos o Festival da Canção  cantado numa língua que não ao nossa lingua mãe, o português, ou o concurso de Miss Portugal , ter como vencedora uma mulher que nasceu homem,  um transgénero. Mas o concurso é para mulheres, ou para homens travestidos de mulheres ?

Até nisso, as verdadeiras mulheres perdem.

 

Candemil, a 11 de Outubro de 2023

José Venade

(José Venade não escreve de acordo com a actual ortografia em vigor)

Posts relacionados