Scroll Top

MEALHADA APROVA ORÇAMENTO DE MAIS DE 23 MILHÕES APOSTANDO NA REQUALIFICAÇÃO DE ZONAS URBANAS

DO OUTRO LADO

A Câmara da Mealhada aprovou, no dia 27 de novembro, por maioria – com a abstenção do Partido Socialista – em reunião do Executivo Municipal, o Orçamento Municipal para 2024, no valor de 23.314 milhões de euros. O documento reflete a aposta na intervenção do espaço público, com a previsão de requalificação de diversos núcleos e infraestruturas em todo o concelho.

A tónica de investimento nos Documentos Previsionais e Grandes Opções do Plano de 2024 recai sobre as projetadas obras de intervenção no espaço público, com mais de 17 milhões afetos a construções diversas, edifícios e instalações de serviços, arruamentos e viadutos e pavimentações diversas, como sejam a requalificação da baixa da Pampilhosa, da Quinta do Alberto, no Luso, a construção do café Esplanada, em pleno centro da Mealhada, e as intervenções nas urbanas do Luso, da Pampilhosa, de Casal Comba, da Vacariça, do Travasso, de Ventosa do Bairro, de Barcouço e de Antes. Inclui ainda a finalização de obras em curso financeiramente pesadas, como o novo edifício municipal, cuja construção deverá entrar em conclusão no próximo ano, e a obra de recuperação do “Chalet Suisso”.

“Propomos uma série de obras de proximidade, que são pedras basilares para a construção de um concelho focado nas pessoas. Desde logo, a requalificação urbana dos núcleos centrais e valorização do espaço público, como a que se prevê com a criação de pracetas de acolhimento em aldeias de todas as freguesias e a pavimentação de várias áreas e instalação de sinalização horizontal e vertical”, afirma António Jorge Franco, presidente da Câmara Municipal da Mealhada, destacando ainda  a criação das Praias Fluviais da Ferraria, de Santa Cristina e de Barrô e a reabilitação, ordenamento e embelezamento do Cemitério da Mealhada, e o reforço ao apoio às Juntas de Freguesia.

As opções do Executivo de António Jorge Franco priorizam ainda a aposta no setor da Habitação, com Reanimação do Programa de Incentivo à Recuperação do Património Edificado Concelhio |PIRPEC|, com a concessão de apoios técnicos e financeiros, enquanto medida de incentivo à recuperação e reabilitação de edifícios, e na Estratégia Local de Habitação, nomeadamente a aquisição, reparação e beneficiação do parque habitacional para fins sociais.

 

Aposta no ambiente, educação, desporto e área empresarial

No âmbito das políticas de educação e sustentabilidade ambiental, estão previstos investimentos como a Requalificação do Rio Cértima e dos seus afluentes, a aposta na compostagem como estratégia para a gestão e redução dos resíduos depositados em aterro, a dotação de edifícios municipais e via pública com tecnologia LED para aumento de eficiência energética, o Projeto Mealhada + Verde – Valorização, qualificação e criação de espaços verdes, a Criação de um Centro de Interpretação da Natureza – Luso e a Construção do Centro de Recolha Oficial – Canil/Gatil Municipal.

A nível desportivo, juvenil e cultural, preconizam-se intervenções como a requalificação da EB2 da Mealhada, a requalificação do Centro de Estágios de Luso e Estádio Municipal Américo Couto, a recuperação dos Antigos Lavadouros da Póvoa da Mealhada, a Requalificação dos Campos de Ténis de Luso e a Criação de novos campos de Padel, bem como a Criação do espaço museológico no Luso, sem esquecer o apoio às associações do concelho, que merece atualizações anuais de forma a que “não percam poder financeiro”.

No domínio empresarial, o Executivo pretende retomar “projetos estruturantes de posicionamento

Estratégico”, como a Plataforma logística/rodoferroviária de Pampilhosa e a expansão das Zonas Industriais da Pedrulha e Viadores, já em curso com a revisão do Plano Diretor Municipal.

“Depois de dois anos de muito projeto, o nosso objetivo é que em 2024 possamos ter mais obras no terreno”.

“Queremos um município coeso onde é bom viver, com qualidade de vida para os seus cidadãos e onde sejam promovidas sinergias a nível social, cultural e institucional que reforcem a nossa identidade. Queremos um território com dinamismo e atratividade empresarial, que prima pela tradição aliando inovação e modernidade e apostamos ainda num destino de excelência sustentável, competitivo, com a valorização dos seus recursos e a qualificação da oferta, dinamizando o tecido económico e o comércio local”, conclui António Jorge Franco.

Posts relacionados