Scroll Top

COIMBRA CELEBRA 200 ANOS DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

DO OUTRO LADO

No âmbito das comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil, e da importância estratégica que esta ligação tem/terá para este território e para o Município, Coimbra promove um conjunto de propostas diferenciadoras que celebram esta efeméride de relevo histórico. A programação, dinamizada por diversas instituições públicas e entidades associativas da cidade, como o próprio Município de Coimbra, a Universidade de Coimbra, o Teatro Académico de Gil Vicente, o Instituto Politécnico de Coimbra/Centro Cultural Penedo da Saudade ou O Teatrão, entre outras, tem início a 01 de setembro e prolonga-se até ao mês de outubro.

No ano em que se cumprem 200 anos da independência do Brasil, Coimbra aprofunda e reinventa as relações e os diálogos entre estas geografias, fomentando uma programação cultural multifacetada que passa pelas áreas do teatro, música, artes visuais e pensamento/reflexão.

As comemorações arrancam hoje, dia 01 de setembro, pelas 18h00, com o espetáculo “Música ao Centro: Taïs Reganelli convida Djâmen e Zezinho Gotelipe”, no Centro Cultural Penedo da Saudade. A viver em Portugal desde 2017, a cantautora – que foi indicada duas vezes como intérprete revelação e melhor álbum do Prémio da Música Brasileira – convida o músico e compositor Djâmen e Zezinho Gotelipe (percussão) para uma viagem musical que passa por temas da sua própria autoria e outros títulos de vários autores brasileiros. 

Amanhã, dia 02 (sexta-feira), a exposição “Vida, Amor e Dor: as mulheres na construção do Brasil”, com obras de Lia Testa, Cláudia Costa e Juliana Leitão Marcondes, é inaugurada no mesmo espaço, pelas 18h00. A exposição sublinha a importância das mulheres no processo de formação do Brasil, antes e depois da chegada dos portugueses e “aborda diversas questões dentro do universo temático do feminino, convidando o público a pensar e a debater o passado, o presente e o futuro”, segundo Wagner Merije, curador da exposição. Os espaços expositivos do Centro Cultural Penedo da Saudade serão ocupados com obras em diversos formatos e suportes, como colagens analógicas, impressões digitais em tecidos, “prints”, pinturas e cerâmicas, podendo ser visitada durante um mês, até 02 de outubro, de terça-feira a domingo, das 14h00 às 20h00.

No dia 06 (terça-feira), a Câmara Municipal (CM) de Coimbra promove um concerto-encomenda com a prestigiada cantora Maria João e um grupo de renomados músicos brasileiros radicados em Portugal, pelas 22h00, na Praça 8 de Maio. O espetáculo inédito marca o arranque de um novo ciclo regular de programação cultural, intitulado “Saudades do Brasil em Coimbra”, que pretende celebrar, agregar e aprofundar as dimensões e ligações criativas e artísticas entre Coimbra e o Brasil. O espetáculo musical reúne, assim, músicos portugueses e brasileiros de referência em Portugal, (Fred Martins, Luanda Cozetti, Norton Daiello, Ruca Rebordão, Sandra Martins e Alex Lima), que se juntam em Coimbra para revisitar temas incontornáveis do cancioneiro brasileiro, num diálogo artístico e cultural que se espera cúmplice e inspirador. O concerto é de entrada livre, com uma duração aproximada de 80 minutos, sendo também transmitido em live streaming na página de Facebook do Município de Coimbra. 

A partir de 07 de setembro, a Universidade de Coimbra oferece um programa multidisciplinar que destaca a ligação centenária entre esta instituição e o Brasil. Pelas 15h00, a Sala do Senado [local sujeito a confirmação] recebe a apresentação do livro “Camões e Lusíadas”, por Antônio Ricardo Accioly Campos, Presidente da Fundação Joaquim Nabuco. Em seguida, pelas 18h00, é inaugurada, na Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (BGUC), a exposição “A Universidade de Coimbra e a independência do Brasil”, que reúne os registos documentais e bibliográficos desta relação centenária (espólio da Biblioteca Geral e do Arquivo da UC). A mostra fica patente até 30 de setembro (mediante marcação prévia, para visitas de grupo). 

Também na quarta-feira, 07, pelas 18h30, a UC organiza no Museu Nacional Machado de Castro um concerto de homenagem a Antônio Carlos Jobim (1927-1994). O espetáculo, promovido em parceria com o Cistermúsica – Festival de Música de Alcobaça, fica a cargo do projeto Remember Jazz, quarteto de jazz e voz que reinterpreta o legado musical do lendário cantautor brasileiro, mais conhecido por Tom Jobim. Às 21h30, integrado na Mostra São Palco – Festival de Teatro Brasileiro em Portugal, a peça de teatro “A Invenção do Nordeste”, pelo Grupo Carmin (Brasil) sobe ao palco do Teatro Académico de Gil Vicente, numa organização d’O Teatrão em coprodução com o TAGV, Teatro Cine-Torres Vedras, Teatro Sá da Bandeira, Cineteatro Louletano, Teatro Aveirense e Coliseu Porto AGEAS. O programa da Mostra São Palco no TAGV, e também no Instituto de Estudos Brasileiros da Faculdade de Letras (IEB) da Faculdade de Letras da UC inclui ainda a peça teatral “Lugar Nenhum”, pela Companhia de Latão (dia 23, 20h00), e conversas pós-espetáculos, conferências, mesas-redondas e oficinas, que vão decorrer até meados de outubro.

“Aprender lições da história, comemorar o bicentenário da independência e refletir sobre os desafios para aumentar e melhorar a integração entre os brasileiros, entre si, e do Brasil com Portugal e o resto da Europa” é o repto lançado pelo Fórum “Independência com Integração”, realizado pelo FIBE (Fórum de Integração Brasil Europa). De passagem por Portugal, o evento combina debates entre especialistas e autoridades, brasileiras e portuguesas, com uma programação complementar que conjuga momentos musicais, culturais e artísticos.

 

Na vertente “Desafios Institucionais”, com o apoio da Universidade de Coimbra, o Fórum é recebido no Anfiteatro do Laboratório Químico, no dia 08 (quinta-feira), a partir das 16h30, com visitas à exposição “A Universidade de Coimbra e a independência do Brasil” e visitas guiadas ao Paço das Escolas da Universidade de Coimbra. Às 18h00, as boas-vindas serão dadas pelo Vice-Reitor da UC, João Nuno Calvão da Silva, seguidas de um breve momento da autoria de Karla da Silva, intitulado “Inspirações”. O ciclo de debates tem início às 18h10, com as intervenções de Carmen Lúcia (Ministra do Supremo Tribunal Federal do Brasil) e Rui Manuel de Figueiredo Marcos (Professor Catedrático da Universidade de Coimbra), moderado por Gilmar Mendes (Presidente do Conselho Consultivo do FIBE). Às 19h10, os debates prosseguem com Esmeralda Dourado (Gestora, Empresária e Conselheira do FIBE) e Walter Baère de Araújo Filho (Presidente do Conselho do BNDES), moderado por Pedro Rebelo de Sousa (Presidente do Conselho Consultivo do FIBE). A sessão de debates termina com a intervenção do Reitor da UC, Amílcar Falcão, e a noite culmina no espetáculo musical de Moacir Bedê, pelas 20h20.

 

O Convento São Francisco apresenta no Grande Auditório, no dia 09 de setembro (domingo), pelas 19h00, um espetáculo com a prestigiada Orquestra Filarmônica de Minas Gerais (Brasil), na sua primeira tournée pela Europa, incluída também nas celebrações dos duzentos anos da Independência do Brasil, contando esta iniciativa com o apoio da APBRA – Associação Portugal Brasil 200 anos. 

Conduzida pelo maestro e diretor artístico Fabio Mechetti, a Orquestra, formada por 90 músicos de diversos locais do mundo, traz a Portugal um reportório sinfónico brasileiro de obras notáveis, que inclui os trabalhos de Carlos Gomes, Villa-Lobos, Alberto Nepomuceno e do compositor português Joly Braga Santos, entre outros. Ao som de obras consagradas, como “Abertura Sinfónica n.º 3, op. 21”, “O Escravo: Abertura e Alvorada”, “Choros n.º 6” e “Bachianas Brasileiras n.º 3” (esta última contendo um solo do pianista brasileiro Jean-Louis Steuerman), a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais oferece ao público português uma variedade de estilos e influências que compõe a cultura brasileira. Os bilhetes estão disponíveis para aquisição na bilheteira do Convento de São Francisco ou no site bol.pt (bilhete geral: 5,00€).

A encerrar o mês de setembro, nos dias 21 e 23, às 18h00, o Centro Cultural Penedo da Saudade, convida ao visionamento de dois episódios da série “Transamazônica – Uma Estrada para o Passado”, seguido por debate. A série, com direção de Jorge Bodanzky, ganhou o Grande Prémio do Cinema Brasileiro de Melhor Série Documental 2022. A primeira sessão, no dia 21 (quarta-feira), debruça-se sobre o Episódio 4 (“Vetores da Destruição”), que incide sobre a destruição da floresta amazónica, com debate moderado por Gonçalo Santos (Professor de Antropologia Social-Cultural na UC). A segunda e última sessão, no dia 23 (sexta-feira), mostra o Episódio 5. (“O Pedágio dos Tenharim”), cruzando a questão ambiental na Amazónia com a questão indígena, com debate moderado por Raoni Arraes (doutorando da UC, com investigação em fotografia ambiental na Amazónia). Resultante de uma co-organização do Centro Cultural Penedo da Saudade, do Núcleo de Antropologia Visual da Universidade de Coimbra e do CIAS – Centro de Investigação em Antropologia e Saúde, o evento conta com a presença do produtor da série, Nuno Godolphim, nas duas sessões.

Para mais informações, os interessados podem contactar a Divisão de Cultura e Promoção Turística da Câmara Municipal, através do email dct@cm-coimbra.pt ou do telefone 239 702 630.

Posts relacionados