Scroll Top

CM DE COIMBRA FORMALIZOU APOIOS À CULTURA SUPERIORES A 1,3M€

DO OUTRO LADO

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra formalizou, no dia 26 de outubro, a assinatura dos contratos de apoio às entidades culturais, referentes a 2023, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da CM de Coimbra, José Manuel Silva, bem como dos representantes das entidades culturais, que decorreu no Salão Nobre do Município. Este ano, a CM de Coimbra apoiou 86 associações culturais com um total de 1.244.300 euros, no âmbito da sua atividade regular, a que se somam 86 mil euros de apoio a eventos culturais de alcance estratégico – um aumento de investimento de cerca de 10 mil e quinhentos euros face ao ano anterior -, perfazendo um total de 1,33 milhões de euros (M€). 

No âmbito do apoio ao associativismo cultural, a CM de Coimbra atribuiu apoios financeiros no valor global de 288.300 euros a 76 associações culturais do concelho que apresentaram as suas candidaturas ao apoio financeiro municipal ao associativismo cultural geral para a atividade permanente em 2023. Nesta lista, que pode ser consultada no edital nº174/2023, não constam, contudo, as quatro entidades apoiadas pela DGARTES, cujos apoios foram antecipados para não comprometer os seus programas artísticos.

O financiamento visa apoiar o desenvolvimento da atividade regular dos agentes culturais do concelho, numa esfera de áreas artísticas que compreende a música (27 associações apoiadas com 125.775 euros), a dança (4 associações apoiadas com 9.450 euros), a etnografia e folclore (12 associações apoiadas com 26.550 euros), o teatro (3 associações apoiadas com 38.250 euros), o cinema e audiovisual (uma associação apoiada com 18 mil euros), as artes plásticas (uma associação apoiada com 2.700 euros), cultura e recreio (17 associações apoiadas com 35.325 euros) e outras áreas com interesse cultural (11 associações apoiadas com 32.250 euros). 

A este valor, somam-se ainda 206 mil euros de apoios antecipados a quatro associações culturais do concelho apoiadas pela DGARTES, para não comprometer os seus programas artísticos. O valor atribuído foi repartido da seguinte forma:  Jazz ao Centro Clube (75 mil euros); Casa da Esquina (35 mil euros); o Centro de Artes Plásticas de Coimbra (66 mil euros) e Companhia de Teatro Marionet (30 mil euros), conforme edital nº 163/2023 e edital nº 152/2023. O Município de Coimbra investiu mais 31 mil euros na soma do conjunto do financiamento às quatro associações face ao ano de 2022, com o objetivo de reforçar as suas candidaturas ao concurso nacional.

Resumindo, a CM Coimbra apoiou 80 associações culturais do concelho – no âmbito do apoio ao associativismo cultural geral – com um valor global de 494.300 euros. 

Recorde-se que as entidades responsáveis pela gestão de equipamentos culturais municipais foram também apoiadas, ao abrigo do apoio financeiro municipal permanente. Os protocolos trienais celebrados entre o Município e a Escola da Noite, o Teatrão e a Encontros de Fotografia contemplaram estas entidades gestoras no ano em curso com 120 mil euros (Escola da Noite) e 125 mil euros (Teatrão e Encontros de Fotografia, representando para esta última um aumento de 15 mil euros face ao ano transato), num total de 370 mil euros. Por sua vez, o protocolo anual atribuiu um apoio à Orquestra Clássica do Centro, no valor de 220 mil euros. Os equipamentos culturais municipais de Coimbra (Teatro da Cerca de São Bernardo, Oficina Municipal do Teatro e Centro de Artes Visuais) veem assim reforçado o trabalho que prosseguem na estratégia de desenvolvimento cultural da cidade, num valor global de 590 mil euros.

Recorde-se, ainda, que, no âmbito do concurso de apoio à programação da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses, Coimbra é o concelho do país com maior número de equipamentos culturais integrados nesta nova rede cultural, sendo três deles de propriedade municipal e dois desses geridos por entidades artísticas independentes (respetivamente, o Teatrão e a Escola da Noite). Das três entidades contempladas – num universo de 39 abrangidas por todo o país – com um apoio financeiro à sua programação artística durante um período de quatro anos, A Escola da Noite foi, igualmente, financiada pela CM de Coimbra, que reconhece o papel estratégico na dinamização do setor das artes performativas desempenhado por esta entidade, com a atribuição de um apoio suplementar de 50 mil euros anuais, tendo sido liquidado, em 2023, os valor referente ao ano transato, perfazendo 100 mil euros.

Numa lógica de potencialização, continuidade e consolidação da sua atividade cultural e artística, é de ressaltar que, das 10 candidaturas apresentadas a concurso ao Programa de Apoio Sustentado às Artes, promovido pelo Ministério da Cultura através da DGArtes, por agentes culturais sediados no concelho de Coimbra, 8 foram beneficiárias, nas modalidades bienal e quadrienal, facto que reflete a qualidade, consistência e repercussão da atividade e dos projetos desenvolvidos pelo tecido cultural conimbricense. O Teatrão, A Escola da Noite, a Marionet, a Casa da Esquina, o Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, a Encontros de Fotografia, o Jazz ao Centro Clube e a Orquestra Clássica do Centro foram as entidades contempladas pelas linhas de apoio do Programa de Apoio Sustentado, que captaram mais de 8 milhões de euros para a cultura de Coimbra em função das suas candidaturas (8 milhões na modalidade quadrienal e 360 mil euros na modalidade bienal).

Neste contexto, a CM de Coimbra reconheceu a elevada qualidade e diferenciação artística destes agentes culturais e manifestou interesse na continuidade da criação e programação das suas iniciativas através da emissão de declarações de conforto às associações, para que as suas candidaturas saíssem reforçadas, nomeadamente através do aumento do respetivo financiamento. Assim, neste âmbito, o apoio ao Teatrão foi reforçado em 50 mil euros e 10 mil euros à Escola da Noite. Desta forma, ambas as companhias de teatro receberam, em 2023, o apoio do Município de Coimbra no valor total de 175 mil euros e 230 mil euros, respetivamente.

Por último, de salientar os apoios atribuídos a eventos de alcance estratégico, com a atribuição de um apoio de 10 mil euros ao CAPC para a realização, em coorganização com o Município de Coimbra, do Solo Show 2023 da Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra – Anozero, que contou com a exposição “Não sofra mais”, de Ragnar Kjartansson. Acresce ainda a comparticipação de 60 mil euros para a 14a edição do Festival das Artes QuebraJazz e a concessão de 6 mil euros para a 4a edição do Festival Apura, organizado pela Associação Cultural Apura.

No global, em 2023 (até à data), a CM de Coimbra apoiou 86 associações culturais com 1.330.300 euros, o que significa um aumento do investimento no setor cultural e artístico de cerca de 10.500 euros em comparação a 2022 e de mais de 250 mil euros, em relação a 2021.

Posts relacionados