Scroll Top

CICLO DE CONVERSAS NA CASA DA ESCRITA COMEMORA O CENTENÁRIO DE AUGUSTINA BESSA-LUÍS

DO OUTRO LADO

Leituras a duas vozes, uma performance de leitura com sessão de canto são as propostas de “À redescoberta de Agustina”, um ciclo de conversas orientado pela ficcionista Isabel Rio Novo, que celebra os 100 anos do nascimento da escritora Agustina Bessa-Luís. Com início em outubro, o programa co-produzido pelo Município de Coimbra e pela Cultura e Risco Associação Cultural decorre até ao final do ano, na Casa da Escrita. A primeira sessão do ciclo, intitulada “Os anos de formação de Agustina”, decorre já no dia 22 de outubro, às 16h00.

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra associa-se a este evento, dando continuidade à sua visão estratégica de apoio à criação de projetos de curadoria independente, bem como de promoção, de afirmação e de apoio aos agentes culturais que atuam no concelho. Recorde-se, na mesma linha, que a autarquia apoiou este ano pela primeira vez a 5.ª Edição de “O Mundo do Vinho”, dedicado à contemplação e ao conhecimento do vinho.

Conduzido por Isabel Rio Novo, ficcionista e doutorada em Literatura Comparada, autora da primeira grande biografia sobre a escritora Agustina Bessa-Luís, lança-se o convite para uma viagem pela vida da “mais produtiva e complexa personalidade feminina da literatura portuguesa” ao longo de três conversas, cada uma com a sua temática, partindo todas elas de factos biográficos e da sua relação com a obra produzida. Cada sessão será animada e ilustrada com fotografias de Isabel Rio Novo (dos locais dos livros, das casas onde Agustina viveu, de curiosidades várias), cuja exibição será particularmente interessante e reveladora. Haverá lugar ainda a performances e leituras de excertos escolhidos da obra de Agustina por leitoras profissionais.

A primeira sessão do ciclo, intitulada “Os anos de formação de Agustina”, decorre no dia 22 de outubro, às 16h00, na Casa da Escrita, explorando a infância e a adolescência da escritora e o modo como as circunstâncias da vida e o seu temperamento pessoal a encaminharam para a escrita. A conversa será acompanhada com a leitura de excertos protagonizada pelas atrizes Gracinda Nave e Helena Faria.

Já no dia 19 de novembro, também às 16h00, a sessão “Os inícios da escritora Agustina” debruça-se sobre os primeiros livros e as primeiras críticas até ao sucesso atingido com o lançamento de “A Sibila”, em 1954. Esta incursão pelo mundo literário criado por Agustina conta ainda com uma performance de leitura e canto com loop-station, por Ana Celeste Ferreira.

A última sessão culmina no dia 3 de dezembro, à mesma hora, com o título “Agustina, amiga de escritores e artistas”. Nesta conversa, propõe-se uma análise sobre a dinâmica de relações da autora com, entre outros, Ferreira de Castro, José Régio, Vieira da Silva, Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade e Manoel Oliveira. O ciclo encerra com a leitura de excertos com as vozes das atrizes Paula Garcia e Sofia Lobo.

Pretende-se, assim, estimular uma reflexão acerca da vida e obra da escritora, sem, todavia, repetir factos que já são do domínio público, procurando revelar um pouco de Agustina Bessa-Luís, pessoa/escritora para quem viver, ou dar testemunho da sua passagem, era escrever.

As sessões têm uma duração aproximada de 1h30 e são de entrada livre, na Casa da Escrita (Rua Dr. João Jacinto, n.º 8).

Posts relacionados