Scroll Top

CASPAE E CM COIMBRA COOPERAM PARA DIMINUIR ABSENTISMO E ABANDONO ESCOLAR NO ÂMBITO DO PROJETO CIVIACT

DO OUTRO LADO

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra aprovou, na sua reunião de hoje, uma proposta de parceria com o Centro de Apoio Social de Pais e Amigos da Escola n.º 10 – CASPAE no âmbito do Projeto CIVIACT. O objetivo geral é a capacitação de jovens cidadãos provindos de contextos vulneráveis, designadamente no que diz respeito à diminuição do absentismo e abandono escolar.

O CASPAE e a CM Coimbra vão cooperar para o Projeto CIVIACT, enquadrado no Programa Cidadãos Ativ@s/Active Citizens Fund, implementado em Portugal no âmbito do “Memorando de Entendimento para o Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu 2014 202 1 (Fundo EEA Grants)”.

Os objetivos do projeto passam por “promover uma maior e melhor oferta de integração dos jovens no concelho; empoderar jovens cidadãos provindos de contextos vulneráveis na cidade de Coimbra para uma participação ativa no exercício pleno dos seus direitos e deveres; promover a interculturalidade enquanto fator de desenvolvimento e fortalecimento da democracia e da dinâmica social local, baseada na solidariedade; reforçar a perspetiva de integração dos migrantes e refugiados na cultura organizacional das instituições e nas políticas da autarquia, promovendo a disseminação de boas práticas nesta temática; contribuir para que a intervenção seja adequada às necessidades dos jovens”; bem como “combater o abandono escolar e de formação precoce dos jovens que influência formas de inadaptação e rutura social”, pode ler-se na informação técnica dos serviços municipais.

“O CIVIACT propõe mitigar o afastamento dos jovens da vida escolar e cívica, particularmente os mais vulneráveis e inseridos em contextos sociais deprimidos, através de ações de capacitação sobre o voluntariado e integração num grupo de Teatro do Oprimido, metodologia de intervenção social, testada e validada. Esta ação prevê integrar os jovens num processo de capacitação através da implementação de sessões estruturadas, mas ajustadas ao perfil dos participantes”, pode ler-se no mesmo documento.

O grupo-alvo do projeto são “jovens dos 14 aos 18 anos de idade, residentes ou estudantes no concelho de Coimbra, em situação de risco psicossocial e/ou carenciados socioeconomicamente, designadamente cidadãos estrangeiros e refugiados”. Indiretamente, são também grupo-alvo “jovens dos 19 aos 29 anos, identificados como NEET; toda a comunidade conimbricense, espectadores ou especta-atores das apresentações de Teatro do Oprimido; assim como o território de intervenção será o concelho de Coimbra, mas com especial incidência em bairros municipais da União de Freguesias de Coimbra, Santo António dos Olivais, União de Freguesias de Eiras e S. Paulo de Frades, esta última com especial incidência na zona do Loreto, Pedrulha e de Eiras”.

Na Declaração de Compromisso da parceria fica previsto que ao CASPAE caberá, enquanto promotor, a “gestão e coordenação do projeto bem como, ativação da parceria e dinamização de reuniões de cariz bimestral; gestão financeira, administrativa e de recursos humanos; gestão do processo de avaliação e desenvolvimento de atividades; execução do plano de comunicação relacionado ao projeto e suas ações; organização do planeamento relativo às atividades e aos resultados do projeto com o parceiro; planificação, execução e avaliação das ações centrais propostas no âmbito do projeto, a saber: capacitação para o voluntariado e capacitação pela arte”.

Já à CM Coimbra caberá, enquanto parceiro, “a integração da equipa do Projeto CIVIACT nos Grupos de Trabalho da Rede Social de Coimbra: Crianças e Jovens e Migrantes, para a prevenção do absentismo ou abandono escolar; apoio na identificação de espaços físicos nos Bairros Municipais para dinamização de sessões de grupo, como seja, ensaios de Teatro do Oprimido; apoio na dinamização de atividades do projeto em Bairros Municipais de Coimbra e identificação de crianças e jovens em risco psicossocial (absentismo ou risco de abandono escolar): CPCJ e Agrupamentos de Escolas; participação nas reuniões de parceria; e o apoio na divulgação do projeto. 

Posts relacionados