Scroll Top

CARLOS MARQUES: “CADA VEZ QUE PARTICIPO NUMA CORRIDA, TENTO LEVAR O NOME DE MIRA MAIS ALÉM” 

ENTREVISTAS

Carlos Marques tem 23 anos e pratica a sua arte desportiva desde há 8 anos. Reside em Portomar e corre com as cores da AMCCarromeuCyclingTeam. 

Não deixe de ler esta pequena entrevista onde pode ficar a saber mais sobre este jovem amante das bicicletas. 

 

Quando começou a apetência pelas bicicletas? 

A apetência pelo ciclismo começou por uma pequena brincadeira há cerca de 8 anos (2016), o meu padrinho começou a desafiar-me para umas voltinhas de bicicleta com os amigos, pouco depois fiz a minha estreia no RAID BTT Lagoas de Mira (corrida do meu concelho), daí começa a vontade de pedalar sempre mais.  

Que sentes quando participas numa prova?  

Cada vez que participo numa corrida, opto por fazer uma corrida livre, tento sempre dar o meu melhor, levar o nome da minha equipa, dos meus patrocinadores e de Mira mais além. Concluir uma corrida é sempre um orgulho. De momento posso quase dizer que atravesso um grande momento de forma, venho de um acidente grave (2022) que atirou a minha ambição na altura “por água a baixo”, estive 3 meses de cama com fraturas por todo o corpo, passei pelo bloco operatório 2 vezes, e apenas reiniciei a competitividade este ano.  

Qual o clube que representas?  

Representei primeiro um grupo de amigos chamado “A Cavalo Nelas”(2016), em 2017, fui convidado pelo Carlos Ferreira a entrar na sua equipa, a Cential Motos, equipa que me deu algum alento a competir, pois tinha dois companheiros juniores que “puxavam” por mim, posteriormente em 2018, fizemos a ponte para Associação de Carromeu onde alinho até aos dias de hoje com o Nome AMCCarromeu CyclingTeam, um grupo de amigos do “pedal” que apenas se quer divertir e deixar a marca (Amizade) por onde passa. De momento somos cerca de 18/20 elementos cada um com o seu espírito competitivo.  

Que esperas do teu futuro neste desporto que praticas? 

O meu futuro neste desporto será certamente delineado em espaços mais curtos de tempo, opto por ver o ciclismo como um meio de passear o país, ver grandes paisagens, e acima de tudo criar grandes amizades. Lógico que se o corpo, a bicicleta e o treino me permitirem continuarei a tentar levar os que me acompanham a um pódio. Um ponto que marco certamente será sempre tentar motivar jovens a querer enfrentar o mundo do ciclismo, algo que por momentos vejo mais escasso visto os orçamentos anuais que custam este desporto.  

Posts relacionados