Scroll Top

CAIXA DE PANDORA #71

Patty Diphusa DESTAQUE

NÃO ME PARECE CERTO 

Estive aqui a matutar e cheguei a uma conclusão: não me parece certo haver no executivo da Dona Câmara uma vereadora que também coordena o centro de saúde. 

Ela é médica, sabemos bem, mas… dirigir ou coordenar uma equipa que está cheia de vícios não será adequado. No fundo, ela é uma colega e, pelo que ouvi, não é levada muito a sério. 

CUIDADO COM A PINTURA 

Com os casos que começam a ser falados por aí, e que têm a ver com carros camarários e alguns cambalachos, só peço a todos aqueles que usam os carrinhos do serviço da edilidade fora de portas que tenham cuidado com a pintura. Limitem os estragos, vá lá. 

ANTES DE COMEÇAR 

Parece-me ser de bom tom que um vereador quando ganha o pelouro de educação olhe em volta para ver se existe uma “sombra” no seu caminho. 

Mesmo que a mesma seja, como frisa a Suzete, “farinha do mesmo saco” ou, sobretudo, digo eu, da mesma cor. 

A cor ser a mesma, diz a Suzete, “nem devia ser entrave.” 

O pior, ouvi por aí, “é o respeito que é devido à chefe.” 

Daí… 

NÃO TE METAS NA VIDA ALHEIA SE NÃO QUERES LÁ FICAR 

Perde-se muito tempo a postar nas redes sociais sobre o que se faz ou não se faz. É a vida alheia, seja autárquica ou não, a comandar o jogo. 

ÀS VEZES O DIA COMEÇA À NOITE 

Nos tempos idos das cartas anónimas, os dias dos distribuidores das ditas começavam à noite. 

E era de manhã cedo que os que as recebiam tinham leitura certa. 

UMA MESA PEQUENA PARA UM GRANDE ASSUNTO 

Quando um qualquer assunto, seja onde for, não se resolve de imediato parece que o que temos é uma mesa pequena para um grande assunto. Apenas, isso. 

CONTRA O FANATISMO 

Eles defendem com unhas e dentes aquilo que lhe metem olhos dentro mesmo que lhes probem que as coisas não são bem assim. É o fanatismo a viver a vida desses iludidos. 

Aqui sou contra o fanatismo. 

IDEIAS EM MOVIMENTO 

As ideias nascem, devem ser postas em prática. 

Saúdo este jornal pela iniciativa da Feira de Trocas de Livros que já teve três edições. 

Sãs as ideias em movimento. 

Até quarta-feira, abraços. 

Patty Diphusa nasceu nas terras de Mira em 1974 e um dia, quando todos estavam distraídos, meteu pés ao caminho e foi por aí. Hoje, atenta ao que se passa na terra onde nasceu, vai vendo e vai escrevendo sobre coisas que vão surgindo. Sobre coisas que a rodeiam.

Posts relacionados