Scroll Top

CAIXA DE PANDORA #37

Patty Diphusa DESTAQUE

“A HORA DO CONTO”:

Todas as bibliotecas municipais tinham “A HORA DO CONTO”. Parece que existe uma que já não tem: a de Mira.

Ao ponto de ter de vir a Biblioteca Municipal de Cantanhede fazer essa “hora” nos jardins da Lentisqueira e do Casal de S. Tomé.

Não se entende isto. A Suzete, que de quando em vez, visita a biblioteca de Mira diz que “não entendo muito bem o que aquilo é, já que iniciativas não tenho notícias delas.”

FAZER GAZETA:

Foi exatamente isto que os deputados municipais do PS fizeram cá em Mira.

“Arrogância” parece ter sido o motivo.

Parece que 2025 não está tão longe como alguns pensam.

ÀS VEZES CHEGAVAM CARTAS:

Noutros tempos, Mira, assim pela calada da noite, era bafejada pela sorte que, algumas caixas de correio tinham, em receber, amiúde uma cartita anónima.

Era de política, melhor de pulhice, que algumas dessas missivas tratavam.

Valia tudo. Algumas “verdades” só o eram na cabeça dos seus autores.

Tudo acabou. Parece ser mais fácil insultar nas redes sociais.

A FALTA DE RESPEITO DE ALGUNS AUTOMOBILISTAS:

Estacionamentos em cima dos passeios, não pararem nas passadeiras…cada vez isso acontece mais.

O respeito pelos peões foi “chão que já deu uvas.”

  1. TOMÉ DE NOVO:

As Festas em Honra de S. Tomé regressam de 21 a 25 de julho.

Eu que gostei muito da edição passada, espero que a deste ano seja melhor, muito melhor.

Mira, o concelho, merecem que a festa seja falada pelas melhores razões. Está na mão de todos nós que isso aconteça.

 

Até quarta-feira, abraços.

Patty Diphusa nasceu nas terras de Mira em 1974 e um dia, quando todos estavam distraídos, meteu pés ao caminho e foi por aí. Hoje, atenta ao que se passa na terra onde nasceu, vai vendo e vai escrevendo sobre coisas que vão surgindo. Sobre coisas que a rodeiam.

 

Posts relacionados