Scroll Top

CAIXA DE PANDORA #23

Patty Diphusa DESTAQUE

“Quando a última árvore estiver cortada. 

Quando o último rio estiver poluído.

Quando o último peixe for pescado.

Vocês vão entender que dinheiro não se come.”

Esta é uma frase do GREENPEACE que me deixou aqui a pensar.

Mira tem problemas de poluição que teimam em não fazer aparecer uma solução positiva nos próximos tempos.

E, como a poluição atacou a morada dos peixes nem peixe há para ser pescado.

Quanto às árvores, as pessoas refilam por causa das que existiram na Praia de Mira e reclamam sobre as que existiram junto à Preparatória de Mira. Uns com mais razão do que outros.

Depois, já se fala por aí que erros como os que se cometeram nas últimas autárquicas (alguns escolheram o cavalo errado e foi o que se viu) não podem voltar a acontecer.

A “vaga de fundo” que alguns apregoam e muitos esperam, pode surgir.

Os partidos que aqui costumam ganhar eleições, que se cuidem.

A velha política está a acabar, está a chegar ao fim do prazo de validade, e Mira não foge à regra.

E Miguel Torga colocou o seu dedo na ferida quando escreveu: “Que povo é este! Fazem-lhe tudo, tiram-lhe tudo, e continua a ajoelhar-se quando passa a procissão…”

É este povo que se tem de levantar e fazer o que deve ser feito.

Até quarta-feira, abraços.

Patty Diphusa nasceu nas terras de Mira em 1974 e um dia, quando todos estavam distraídos, meteu pés ao caminho e foi por aí. Hoje, atenta ao que se passa na terra onde nasceu, vai vendo e vai escrevendo sobre coisas que vão surgindo. Sobre coisas que a rodeiam.

 

Posts relacionados